As estrelas de baixa luminosidade


As estrelas mais comuns são estrelas vermelhas (frias) e de baixa luminosidade, localizadas no diagrama HR na extremidade inferior da sequência principal, e são chamadas de anãs vermelhas.

Os objetos de menor massa e luminosidade ainda, chamados de anãs marrons, por serem muito fracos, são muito difíceis de serem detectados. O termo anã marrom foi proposto em 1975 pela astrônoma americana Jill Cornell Tarter (1944-). A primeira descoberta foi Teide 1, em 1995. Na verdade, anãs marrons têm massa menor que 0,08 massas solares, e nunca queimarão o hidrogênio e, portanto, nunca atingirão a sequência principal. Elas têm massa entre aproximadamente 13 e 73 MJúpiter e existem mais de 626 conhecidas. Júpiter tem Tcentral=22 000K, emite no infravermelho duas e meia vezes mais energia do que recebe do Sol, contraindo-se. Por exemplo, a anã marrom Gliese 229B tem massa entre 30 e 40 vezes a massa de Júpiter e temperatura efetiva de 1000K.

As estrelas anãs vermelhas são muito menores e mais compactas do que o Sol. Uma estrela anã vermelha típica, com temperatura de 2700 K e magnitude bolométrica absoluta MV=+13 ($ 5 \times 10^{-4} L_\odot$), tem um raio de apenas 1/10 do raio do Sol. Uma estrela desse tipo tem massa pequena, em torno de 1/10 da massa do sol, mas ainda assim sua densidade deve ser em torno de 100 vezes a densidade do Sol. Mas essas não são as estrelas mais densas que existem. As anãs brancas, na margem inferior esquerda do diagrama HR, as estrelas de nêutrons, e os buracos negros, têm densidades muito mais altas.

estrelas

FONTE: Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

Créditos: Kepler de Souza Oliveira Filho / Maria de Fátima Oliveira Saraiva

© Os textos, gráficos e imagens desta página têm registro: ISBN 85-7025-540-3 (2000), ISBN 85-904457-1-2 (2004), ISBN 978-85-7861-187-3 (2013), e só podem ser copiados integralmente, incluindo o nome dos autores em cada página. Nenhum uso comercial deste material é permitido, sujeito às penalidades previstas em lei.
© Kepler de Souza Oliveira Filho & Maria de Fátima Oliveira Saraiva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s